Panes e problemas – parte 3

 

Em St Thomas primeiro foi o gerador eólico, que do nada parou de gerar, nem as instruções do fabricante estavam resolvendo, até que o Pig mexeu em todas as setagens.

Foi preciso também refazer o zipper do dog house, a bolsa da tala, e a tala que caiu no mar durante a travessia.

Além disso a peça que segura o pau do spinnaker no mastro, se desintegrou e por pouco não caiu na cabeça do Pig, que a afastou com o braço, ainda bem que o buraco foi no convés e não na cabeça dele…

Na Sub Base, perto da Crown Bay Marine, em St Thomas, por sorte, o Pig encontrou um torneiro brasileiro, que fez uma peça nova em aço inox, que pelo preço poderia ser de ouro!!!

Durante a visita do Leo e da Tati, enquanto decidíamos qual piloto comprar, começou a sair uma fumaça preta do motor, que o Leo rapidinho pesquisou na internet e descobriu que poderia ser a carbonização do elbow por uso em baixa rotação.

Teve ainda o encalhe mega estressante em Benner Bay, St Thomas, que é assunto pra um post inteiro!

Finamelte em St Croix, voltou a vazar diesel do tanque da quilha pra dentro da sentina (talvez em consequência do encalhe), fizemos um reparo, pra poder seguir viagem. mas precisará ser refeito com o barco no seco.

Sem mencionar nossa eterna batalha contra os cupins, que nos faz tirar tudo de um lugar pro outro, afim de colocar o veneno, periodicamente. Quando pensamos que nos livramos, reaparecem noutro lugar!!!!

Por essas e por outras, com a temporada dos furacões se aproximando, mudamos totalmente os planos, de uma hora pra outra, em vez de Bahamas e Intra Coastal Waterway, que seriam mais de 1000 milhas, descemos pra Curação

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *