Rumando sul

Oficialmente a temporada dos furacões começa dia 01 de junho, então chegou a hora de rumar para a relativa segurança de Grenada ao sul de 12.07N, como preconiza nosso seguro.

Em companhia de outro barco, pela primeira vez nesses 6 anos de Blues, o Christalino, do Vagner, Fabi e o pequeno grande Otto, deixamos St Anne na Martinica e rumamos pra Rodney Bay em Santa Lúcia.

É interessante voltar aos lugares que conhecemos, saber onde ficam as coisas, onde comprar pão, tomar um bom sorvete, comprar alguma peça pro barco.

Fomos com a turma do Christalino e mais o amigo sul africano deles, o Kevin, do Opela, que trouxe uma peça pra nós de St Martin, experimentar um roti de lambi, uma concha, prato típico do caribe, que ainda não conhecíamos, achamos muito parecido como uma carninha de panela, gostoso mas nada parecido com frutos do mar. Só no dia seguinte caiu a ficha, não era lambi, a concha, e sim lamb, carneiro. Rimos muito, ainda bem que não tinha gosto de frutos do mar!!!!

Depois Soufriere e o pernoite ao pé do Petit Piton, magnífico. Bom mergulho, direto do barco, como preferimos.

De lá pra Bequia, onde o mergulho é muito bom, também direto do barco e sem correnteza, muitos peixinhos, vários outros barcos rumando pro sul.

Estando tão pertinho, e na lua certa, não resistimos passar em Tobago Cays, até agora o meu lugar favorito no Caribe, nenhuma civilização, só natureza, e nessa época, poucos barcos, o mergulho no entanto foi melhor na ponta oeste de Jamesby, que nos corais, vimos raias manteiga e xita, frades, queen angelfish, tartarugas, tubarão lixa, e inúmeros outros. Maravilhoso.

Nossos amigos foram direto pra Canouan, e depois nos encontramos novamente em Clifton, Union Island, onde o ponto alto é o show da galera do kite. Fizemos uma caminhada até o Fort Hill onde a vista da baía é imperdível e ficamos com mais saudades do Leo e da Tati vendo o aeroporto de onde saíram faz mais de um ano. O mais legal do passeio foi o Pig ter salvo um cabritinho que estava com a cabeça presa numa lata de tinta. Meu herói! 🙂

Aproveitando as janelas de ventos amenos e ondas pequenas rumamos pra Carriacou, e pernoitamos na Sandy Island, onde vimos 2 raias xita enormes, magníficas, alguns peixes inéditos para nós, e o mais engraçado foi quando, na manhã seguinte, mergulhando na ponta oeste da Mabuya, o Pig olhou pro bote, na ponta leste, e achou que tinha garrado, saiu nadando que nem um doido, tentei acompanhar mas ele foi por cima dos corais, muito raso, e não curto tanta proximidade, então olhei novamente e vi o bote no mesmo lugar, voltei a curtir o mergulho, até porque, se tivesse mesmo soltado teríamos que pedir ajuda à lancha da operadora de mergulho que estava próxima, era correnteza demais.

Em Tyrrel Bay tínhamos compromisso marcado, o aniversário de 7 anos do Otto, chegamos a tempo de curtir o execelente almoço com o peixe fresquinho que o Vagner pescou (prefiro nem saber qual era, tadinho, mas estava delicioso), e passar uma agradável tarde no Christalino, jogamos dominó, xadrez, que ele jogava direitinho, ele me mostrou o seu “livro de aventuras”, muito legal, e cantamos os parabéns, éramos os únicos convidados, mas foi bem divertido. O bolo de chocolate com coco, memorável, a Fabi nos deu um pedação pra levar e continuamos a festa no Blues!

Ficamos mais um dia lavando roupa, em dia de mergulho não dá pra ficar a bordo lavando roupa, e seguimos pra Grenada, um dia depois deles e nos desencontramos, nós chegando em St George e eles saindo pois tiveram uma emergência no Brasil e foram deixar o barco numa poita perto do Carlão do Namastê, como nós faremos, ao invés de seguir pra Trinidad como era o plano deles. Mas a vida no mar é assim, a gente planeja até onde dá, mais muitas vezes é preciso refazer os planos.

Uma descoberta interessante que fizemos recentemente, é que o pino que segura a âncora, aquele mesmo que soltou lá na Martinica, gira, o que facilita, pra caramba, girar quando a âncora sobe ao contrário, e por todos esses anos fizemos da maneira mais difícil, girando a corrente, é atribulada a vida do babaca…

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

3 Responses to Rumando sul

  1. Leonardo Pignataro says:

    Saudades também! Aquela nossa viagem foi maravilhosa!

  2. Gunnar says:

    Bom dia Tita! Acompanho voces desde 2010. Muito bom e proveitoso o blog de voces. Sou de Porto Alegre, do Veleiros / Jangadeiros, irmao do Niels Rump, que vcs certamente conhecem. Hoje moro em Maringá e Florianópolis onde tenho um pequeno Atol 23 na Marina de Santo Antonio. Um abraço forte e bons ventos.
    Gunnar.
    Veleiro Tagus

    • tita says:

      Oi Gunnar, que bom que vc nos acompanha, tenho estado meio ausente mas vou retomar os relatos. Bons ventos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *