Santa Lúcia

A passagem de Carriacou pra Santa Lucia foi a melhor até agora, vento bom, mar calmo, nem enjoeei e pude ajudar, foram 18 h conforme previsto e pra chegar com o sol alto saímos às 5 pm, depois de passar o dia curtindo a Sand Island, uma ilhota junto à Carriacou de areias brancas e águas cristalinas.

Chegamos a Soufriere, ao lado dos Pittons, marca registrada de Santa Lúcia, que lembram o Rio de Janeiro, por volta de 11 am e pegamos uma das poitas do parque, a profundidade bem perto de terra era de 18m, seria complicado fundear e não é permitido, a água parecia Fernando de Noronha, de um azul profundo, linda.

Passamos alguns dias por ali, só curtindo o visual e o snorkeling, na cidade só as máscaras do Zaka eram interessantes. Tentamos achar as poitas que o guia indicava em outros pontos bons pra snorkeling mas não existem mais, e acabamos indo direto pra Marigot Bay, uma pequena baía super abrigada, tipo o Saco do Céu na Ilha Grande, só que menor e com um mega Resort e vários restaurantes em volta.

O resort é também uma marina e por US 30 pela poita é possível usar todas as facilidades do resort, as piscinas, os chuveiros, os restaurantes, tudo mega sofisticado, mas os barcos cheios de turistas circulando o tempo todo nos deixaram meio desconfortáveis e ficamos só uma noite. Era também “urbano” demais…

Seguimos para Rodney Bay, uma baía ampla, de águas claras, e espaço pra muitos barcos, optamos pelo lado norte, onde pensamos estar mais afastados da muvuca de terrra. São muitos resorts nas margens e também praias onde os locais curtem o som nas alturas mas não até tarde, nada que incomodasse demais, tanto que acabamos ficando 4 semanas.

A marina fica dentro de uma “lagoon”, super abrigada, com muitas vagas para barcos de todo tamanho e também poitas na parte mais interna, com condomínios e casas com vagas pra barcos à volta toda, num cantinho tem um pier pra botinhos, com acesso a um centrinho com lojas, restaurantes e 2 bons supermercados.

A Embaixada do Brasil é do outro lado da rua da marina e pude agilizar uns documentos que precisava autenticar e mandar pra resolver questões da herança da minha avó.

Alugamos um carro por um dia e demos a volta na ilha, a parte sul é a mais bonita, com as montanhas e as florestas, a ilha é bem desenvolvida pro turismo, um destino para casamentos e lua-de-mel, cheia de resorts pra todos os gostos e bolsos, chegam também navios regularmente e isso tudo movimenta a economia.

Durante mais de 2 semanas pudemos observar barcos e mais barcos chegando na 30ª ARC e a marina ficou super movimentada, os barcos se juntam nas ilhas Canárias e participam dessa regata, todo ano nessa época. Gente e barco de todo tipo, vimos tudo de longe, bem ao nosso estilo.

Fundeamos próximo a um barco americano e outro canadense, depois de algumas semanas travamos contato, 2 casais muito simpáticos e acabamos sendo convidados pra um jantar em comemoração ao aniversário da Marsha, a americana, 69, Bob, o marido, com 84, do Crusader. O jantar foi oferecido pela Sue e o John, ingleses, que emigraram pro Canadá nos anos 70. Também com mais de 60 anos e curtindo a vida a bordo do Saltscar III. Foi muito legal ver que depois de tanto tempo, os americanos há 19 anos, continuam curtindo a vida a bordo.

Nossa viagem pros Estados Unidos e Canadá ficou adiada pra março, pois foi impossível encontrar um lugar seguro e acessível pra deixarmos o barco, essa é a epoca de maior movimento aqui, parece que todos os barcos do planeta vem passar o natal aqui, e nós vamos acabar passando na Martinica, nosso próximo destino.

 

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

2 Responses to Santa Lúcia

  1. john feldman says:

    Hi guys
    greetings from Toronto
    hope all well on board

    Love,John&Sue

    • tita says:

      Hi! Good to hear from you!
      When are you guys coming back?
      Hope to see you soon.
      Fair winds =)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *